Notícias

02/01/2019 - Notícia

Três representantes do PSL tomam posse como governadores em estados brasileiros

Rondônia, Roraima e Santa Catarina elegeram candidatos do partido do presidente Jair Bolsonaro

Três governadores eleitos pelo Partido Social Liberal (PSL) tomaram posse nesta terça-feira, 1º de janeiro, nos estados de Rondônia, Roraima e Santa Catarina.

Coronel Marcos Rocha

Após o juramento, que ocorreu durante a manhã, o Coronel Marcos Rocha foi empossado e é, a partir de agora, o novo governador de Rondônia. Os secretários anunciados por ele serão empossados nos cargos no dia 4 de janeiro. 

Depois de ser empossado, o Coronel Marcos Rocha fez um discurso. Emocionado, ele destacou a ajuda da esposa, Luana Rocha, e ressaltou a participação da população para solucionar os problemas do Estado. Além disso, Marcos Rocha pontuou que irá reverter contratos e "enxugar a máquina pública".

Com a posse, o Coronel Marcos Rocha segue no governo de Rondônia até 2022. Ele terá Zé Jodan (PSL) como vice-governador. No segundo turno das eleições, o coronel recebeu um total de 530.188 votos (66,34%).

Antonio Denarium

Em Roraima, tomou posse o governador eleito Antonio Denarium (PSL), em solenidade da Assembleia Legislativa de Roraima.

Após a posse, Denarium concedeu coletiva de imprensa e disse que Roraima precisa reajustar o orçamento para equilibrar as finanças. No discurso de posse, frisou que pretende fazer uma reforma administrativa pra enxugamento da máquina. “Chegou a hora de pensar no interesse da população e não nos particulares”, disse.

Eleito no 2º turno de 2018 com 136.612 votos, o equivalente a 53,34% dos votos totais, Denarium ocupará pela primeira vez um cargo público.

Carlos Moisés da Silva 

Em Santa Catarina, Carlos Moisés da Silva foi empossado como governador do estado. A cerimônia de posse iniciou com a apresentação da banda da Polícia Militar, que tocou o hino nacional. Após dos trabalhos em 2018 feito pelo ex-governador, Moisés e a vice, Daniela Reinehr (PSL), assinaram o livro de posse e fizeram um juramento.

"O governo começa com uma grande reforma, cujo foco será ajustar a gestão em áreas vitais. A economia gerada nos processos irá alavancar o poderio de investimento do estado”, afirmou Moisés em pronunciamento.